Protetor solar: como proteger a sua pele e os corais marinhos

Você sabia que o protetor solar que você usa enquanto relaxa em um mergulho gostoso no mar pode colocar em risco os recifes de corais? A boa notícia é que dá para continuar cuidando da sua pele e proteger a vida marinha ao mesmo tempo.

Estima-se que 14.000 toneladas de protetor solar acabam nos oceanos a cada ano. E isso não vem só de quem curte nadar no mar. O protetor solar que você enxaguar pelo ralo quando tomar banho pode eventualmente encontrar seu caminho para o oceano.

Além disso, os práticos sprays de aerossol podem espalhar partículas de protetor solar pela areia da praia. Quando a maré chega, estes produtos químicos podem ser lavados no mar.

Neste post, vamos explicar a diferença entre os dois tipos mais comuns de protetores solares. Também vamos contar como esse produto pode agredir a vida marinha e dar dicas de filtros solares ecológicos. Confira!

Protetor solar: conheça os tipos mais comuns

Existem dois tipos mais comuns de protetores solares: o físico, também chamado de mineral, e o químico.

O protetor solar químico é composto por moléculas responsáveis pela absorção dos raios ultravioletas, que por sua vez se transformam em radiação de baixa energia, que não é capaz de penetrar a pele.

O protetor solar físico é composto por minerais (por isso, também conhecido como protetor mineral), entre eles o óxido de zinco e dióxido de titânio. Esses elementos têm o papel de agirem como uma barreira para que os raios solares sejam refletidos da pele.

Como o protetor solar agride os corais marinhos?

Infelizmente, pesquisas descobriram que alguns dos principais produtos químicos utilizados em protetores solares são prejudiciais aos corais e a outras formas de vida marinha. Um dos principais culpados é a Oxibenzona (Benzophenone-3), um ingrediente químico encontrado em mais de 3.500 produtos de proteção solar.

Estes produtos químicos podem levar ao branqueamento dos corais, além de danificar seu DNA e aumentar o crescimento anormal e as deformidades. Mas não são apenas os protetores solares químicos que são prejudiciais.

Os protetores solares minerais, às vezes, contêm nanopartículas que de tão pequenas, podem ser absorvidas pela vida marinha.  Esses minerais são tóxicos para muitas espécies oceânicas, podendo causar estresse e, em última instância, morte, mesmo em baixas concentrações.

Além dos danos causados aos corais, os protetores solares podem:

  • diminuir a fertilidade dos peixes;
  • danificar o sistema imunológico dos ouriços-do-mar e deformar sua reprodução;
  • prejudicar a fotossíntese em algas.

Protetor solar ecológico: conheça as principais marcas

Para te ajudar a ser um turista eco-friendly de verdade, daqueles que cuidam da natureza ao seu redor, vamos te passar uma lista de protetores solares ecológicos, ou seja, aqueles que não agridem o mar.

Vale ressaltar que ainda não foi lançado um protetor solar que seja 100% biodegradável e sustentável, mas já dá para você escolher melhor e fazer diferença no mundo.

Portanto, se quiser cuidar da sua pele e do meio ambiente ao mesmo tempo, procure por um protetor solar ecológico das seguintes marcas:

  • Australian Gold Antipoluição;
  • Australian Gold Botanical Sunscreen;
  • Avene Loção Mineral;
  • Bioderma Facial Photoderm Cover Touch;
  • Filtro Solar Oil Control FPS50+ Isdin Fotoprotector FusionWater;
  • Skinceuticals Protetor Solar;
  • Adcos – Protetor Solar Fotoproteção Mousse Mineral;
  • Cetaphil Sun Protetor Solar Fps 70;
  • Protetor Solar Infantil Mustela FPS 50.

Quer saber mais sobre turismo sustentável? Continue sua leitura sobre e informe-se a respeito do crescimento dos Hotéis Boutique Eco-Friendly.