Eco-Friendly: conheça a história de sustentabilidade do Ilha de Toque Toque

Hoje, o Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel é um projeto modelo de hotel eco-friendly em todo o país. Somos o 1º Hotel Lixo Zero do Brasil e, para receber a certificação oficial, fomos submetidos a uma auditoria nos padrões da Waste Zero Alliance. No Brasil, o único representante da ZWIA é o Instituto Lixo Zero Brasil (ILZB), responsável pelo nosso certificado.

A conquista do título de Hotel Lixo Zero veio em 2019, mas o tema sustentabilidade sempre esteve presente na história do Ilha de Toque Toque. Isso porque somos um hotel boutique que se adaptou à natureza da nossa propriedade, prezando a todo momento pela preservação ambiental em nosso entorno.

Neste post, vamos contar um pouco da nossa história e de como o turismo sustentável está em nosso DNA desde o começo. Vamos lá!

A compra da propriedade

A compra da propriedade onde hoje fica o Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel parece obra do destino mesmo. Antigamente, aqui no terreno havia uma chácara, de propriedade do Senhor  Brito, um prático de navio bem conhecido pelos moradores do centro de São Sebastião, hoje já falecido.

Nosso sócio-fundador, Edson Pavão, já tinha na cabeça a ideia de abrir um hotel, mas ainda estava na fase de procurar o lugar perfeito. Ele frequentava bastante o litoral de São Sebastião para praticar esportes, como surfar e andar de bike.

Em 2004, numa dessas vindas para São Sebastião, Pavão estava fazendo um pedal na Rodovia Rio-Santos, no trecho Maresias-Centro. Ele estava procurando por algum lugar para encher sua garrafinha de água, quando viu o portão da chácara aberto, com um tanque de água bem ali na entrada.

Nesse momento, ele percebeu que havia uma placa de “vende-se” jogada no chão. Então, Pavão entrou na propriedade e, logo de cara, se apaixonou pela vista da Baía de Toque Toque. Foi amor à primeira vista mesmo, sabe? Nessa hora, ele já sabia que queria abrir um hotel no meio da mata atlântica da costa de São Sebastião.

Naquele dia, Pavão não achou ninguém na chácara e foi embora, mas a beleza daquele lugar não saiu da cabeça dele.

Numa outra vinda, já com a ideia fixa na cabeça, ele foi até a propriedade novamente. Dessa vez, ele encontrou o caseiro que morava e cuidava do local, conseguindo o contato do corretor que estava intermediando a venda.

Alguns meses depois, já em 2005, Edson Pavão finalmente efetivou a compra dessa chácara. Em 2006, com poucas mudanças, já abriu a Pousada Ilha de Toque Toque, que na época operava comapenas 5 quartos.

A adaptação eco-friendly do hotel à propriedade

Desde o começo, muito antes de nos tornarmos o 1º Hotel Lixo Zero do Brasil, nossa operação sempre foi baseada em ser não-invasiva com o meio ambiente. Afinal de contas, estamos no coração da mata atlântica e a natureza exuberante daqui é o principal atrativo para hóspedes que curtem praticar ecoturismo.

Logo em nossa entrada, temos um tanque com carpas, feito em pedras rústicas, que já existia e foi mantido. A piscina do hotel também já estava na propriedade, mas demos um upgrade ao colocarmos o deque de madeira e o mobiliário.

A casa principal da antiga chácara foi transformada na recepção do Ilha de Toque Toque e no restaurante exclusivo para hóspedes. A outra casa foi dividida em duas suítes Privês e a antiga casa do caseiro tornou-se duas suítes categoria Master. Tudo o que já existia na propriedade foi reaproveitado, como acessos, platôs, escadas e trilhas.

E assim começamos a operar, sempre pensando ativamente nos padrões de sustentabilidade que norteiam o negócio até hoje. A experiência romântica com design consciente que proporcionamos aos nossos hóspedes vai muito além da arquitetura sustentável do hotel.

No início, Edson Pavão morava com sua família em uma casa dentro do terreno do Ilha de Toque Toque. Quando se mudaram, o espaço foi dividido e transformado em mais suítes VIP e na  suíte Exclusive.

Antes da certificação Lixo Zero, sempre tivemos programas de incentivo aos colaboradores e hóspedes quanto ao desperdício de alimentos, uso consciente dos equipamentos, descarte correto do lixo, reuso de toalhas e aquecimento por energia solar, entre outras ações.

Trabalhamos com fornecedores eco-friendly, como é o caso do nosso parceiro que aluga boa parte  dos eletrônicos aqui do hotel. A cada 2 anos todos são trocados, e o fornecedor, que também tem o pilar de sustentabilidade em sua gestão de negócios, cuida da logística reversa e trabalha com o reaproveitamento das peças de equipamentos danificados, além do descarte correto de todos eles.

A ampliação do hotel com design consciente

Para chegarmos às 14 suítes que temos hoje, fomos crescendo pouco a pouco, sempre com uma preocupação enorme voltada ao mínimo impacto ambiental durante a construção de mais alguns quartos dentro dos 20 mil metros quadrados da propriedade. E assim foi feito: jamais deixamos a preocupação com a natureza de lado!

Desde o início, os gestores do hotel criaram o modelo de negócio do Ilha de Toque Toque baseado em 6 pilares:

  1. Exclusividade;
  2. Romance;
  3. Isolamento;
  4. Relaxamento;
  5. Culinária;
  6. Sustentabilidade.

Ao longo de todos esses anos de portas abertas, foram justamente esses conceitos que nos transformaram num verdadeiro refúgio romântico sustentável em meio à mata atlântica e que nos trouxeram todos os prêmios que já ganhamos até hoje.

O Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel oferece um local único, somente para casais, cheio de tranquilidade, entre a mata atlântica e o mar. Para relaxar ainda mais, temos aqui dentro o SPA L´Occitane au Brésil, também altamente sustentável.

Levamos a sério o respeito à natureza e às leis ambientes. Por isso, nunca derrubamos nenhuma árvore no processo de ampliação do hotel. Muito pelo contrário! O design consciente e inteligente do Ilha de Toque Toque é justamente baseado no conceito de adaptação ao meio.

Todas as nossas instalações respeitam o zoneamento permitido e, além disso, também nos preocupamos com o material usado no levantamento dos novos apartamentos para hóspedes. As suítes que ficam ao lado da piscina e as três suítes Vips localizadas no meio do hotel foram erguidas com tijolos ecológicos.

Esse é um tipo de tijolo especial que não passa pelo processo de queima, reduzindo a emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. Eles são fabricados com resíduos naturais e recicláveis. Outra vantagem do tijolo ecológico das nossas suítes é que não há necessidade de utilizar cimento, já que sua colocação é feita pelo sistema de encaixe.

Os pilares de madeira da obra foram comprados da antiga concessionária de energia Eletropaulo, que usava essas estruturas como postes de luz.

Tudo isso demonstra a consciência ambiental dos gestores do Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel e sua real preocupação com a sustentabilidade desde o início, até nos transformamos oficialmente em um Hotel Lixo Zero quase 15 anos depois.

Inclusive, quando comparamos fotos aéreas aqui da propriedade, conseguimos ver claramente que a natureza do terreno está ainda mais bonita. Isso porque não só preservamos todas as árvores que já estavam aqui, como também plantamos mais espécies nativas, que são cuidadas diariamente com muito carinho pela nossa equipe.

Por fim, mas não menos importante, está o nosso respeito aos animais silvestres que estão na mata. Quando eles aparecem por aqui, procuramos nunca sermos invasivos e apenas os deslocamos para o local longe das áreas comuns do hotel ou acionamos a Guarda Ambiental, caso necessário.

Agora que você já conhece a história de sustentabilidade do Ilha de Toque Toque, saiba mais sobre a experiência romântica eco-friendly que proporcionamos aos nossos hóspedes.

4 países incríveis para praticar ecoturismo

O ecoturismo é cada vez mais tendência entre os viajantes de todo o mundo. Obviamente, existe uma razão para isso, visto que a situação ambiental global está cada vez pior, com menos áreas verdes na Terra.

Esse cenário cria ótimas oportunidades para o turismo sustentável em destinos eco-friendly nos quatro cantos do planeta. São países que têm muito orgulho de sua natureza intacta, paz e tranquilidade.

Além do mais, o dia-a-dia em destinos ecologicamente corretos é cheia de autenticidade, algo tão valioso na era das megalópoles cheias de trânsito. Quer praticar ecoturismo em lugares incríveis? Então confira essa lista!

1. Costa Rica

Esse é um dos países mais associados ao ecoturismo mundialmente (e um dos poucos localizados na América Latina). Anualmente, milhões de viajantes visitam a Costa Rica em busca de sua natureza protegida, tanto na costa do Pacífico como do lado oposto, no mar do Caribe.

Dá para visitar vulcões impressionantes e praias bem limpas, com visual deslumbrante. A preservação ambiental é garantida por lei, que protege a floresta e a vida selvagem. Isso faz com que seja bastante comum avistar preguiças bem pertinho de você, por exemplo.

2. Noruega

Pode ser que um país escandinavo não seja um destino comum para praticar ecoturismo. Isso se você nunca tiver ouvido falar dos fiordes noruegueses. Devido à sua localização remota e rigorosa observância às normas ecológicas, os famosos fiordes mantêm-se perfeitamente preservados.

Há muitos animais selvagens nos fiordes, incluindo águias, focas e aves marinhas. Os turistas podem visitar pequenas vilas de pescadores, onde as tradições culturais são transmitidas através de gerações.

3. Quênia

Muitos turistas associam o Quênia aos safáris. Os amantes do ecoturismo adoram o país por suas amplas savanas, famosas pelo grande número de leões e elefantes. Ao mesmo tempo, a maioria das pessoas não acha que se possa encontrar lá montanhas, lagos, florestas tropicais, desertos e praias.

Pois saiba que, onde quer que você vá, o Quênia tem um ecossistema e uma vida selvagem únicos, com sua diversidade natural protegida em cerca de 50 parques nacionais e reservas em seu território.

Na costa, os viajantes podem passear descalços em praias de areias brancas e desfrutar de uma das mais ricas flora e fauna do mundo nas savanas e florestas.

4. Kerala, Índia

O pequeno estado de Kerala, na costa sudoeste da Índia, é frequentemente chamado de "o país pessoal de Deus" (de acordo com os indianos). E quem tem o privilégio de praticar ecoturismo por lá, ver suas lindas florestas imaculadas e suas praias perfeitas, diz que não há exageros nesse apelido.

Kerala é um dos lugares mais intocados da Índia, casa de centenas de espécies de animais e quase 25% de todas as plantas do país. O Parque Nacional Eravikulam, Periyar e os santuários de vida selvagem Wayanad são o lar de elefantes, gulmans (espécies de macacos) e tigres. De acordo com a National Geographic, Kerala é "um dos dez recantos paradisíacos do mundo". A edição também o incluiu na lista de "50 principais destinos do mundo".

Agora que tal conhecer um destino incrível para praticar ecoturismo aqui no Brasil? Continue sua leitura e saiba mais sobre a Praia de Calhetas em São Sebastião.

Hotel sustentável: dá para ser eco-friendly e rentável?

Estar sempre no topo das tendências da indústria hoteleira e proporcionar uma excelente experiência aos hóspedes, mantendo os custos baixos, é a chave para a sobrevivência de qualquer hotel. Felizmente, a demanda crescente pela hospedagem em um hotel sustentável é uma grande oportunidade de conseguir atingir esses três objetivos.

Para você ter uma ideia, 83% dos entrevistados de uma pesquisa do Booking.com feita durante a pandemia de covid-19 disseram que querem viajar de forma mais sustentável agora. Mais da metade dessas pessoas citou a pandemia como a principal razão de estarem mais conscientes de seu impacto sobre o meio ambiente e sobre as comunidades locais.

E não é só isso! Um estudo da Amex revelou que 68% dos consumidores agora buscam apoiar as marcas de viagens com práticas sustentáveis. O reflexo de tudo isso pode ser visto na plataforma TripAdvisor, que tem uma página listando somente hotéis eco-friendly.

Mas será que um hotel sustentável também pode ser economicamente viável? O que fazer para ser eco-friendly e lucrativo ao mesmo tempo? Leia este post e descubra!

Mitos e conceitos errados sobre ser um hotel sustentável

Existem muitos mitos e conceitos errados a respeito da ideia de transformar um hotel em um estabelecimento realmente sustentável, no sentido mais amplo que esse conceito traz. Uma das ideias mais incorretas acerca do tema é que ser sustentável custa mais caro.

Enquanto algumas práticas eco-friendly podem custar mais, como a compra de alimentos orgânicos, muitas condutas focam na redução do consumo de recursos e na geração de resíduos, o que economiza dinheiro.

Um investimento inicial pode ser necessário para remodelar ou substituir a infraestrutura, como a instalação de painéis para geração de energia solar, mas isso deve se pagar com o tempo.

Dependendo de onde você estiver, talvez você também consiga obter subsídios para fazer melhorias sustentáveis. Seja como for, é importante ter uma visão a longo prazo: ser um hotel sustentável não deve ser apenas uma tendência, mas sim parte integrante do seu modelo de negócios. Pense em qualquer despesa como um investimento em uma perspectiva de futuro.

Outro mito é dizer que um hotel sustentável sacrifica a qualidade da experiência dos clientes durante a hospedagem. Entenda que reduzir o uso de energia não significa proibir os hóspedes de usarem o ar-condicionado, mas sim aproveitar aparelhos e sistemas de monitoramento inteligentes para personalizar e otimizar o uso de energia. Dessa maneira, é possível manter o conforto dos hóspedes e os custos baixos para o hotel.

Ideias eco-friendly que realmente reduzem custos

Para ser um hotel sustentável e reduzir custos ao mesmo tempo é preciso diminuir o uso de plástico. Aqui no Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel, não usamos mais nada de plástico (copos, canudos, nada!). Instalamos filtros de água nas suítes em substituição às garrafas plásticas e nossas lixeiras não usam mais saquinhos plásticos.

Gerar energia por meio de fontes renováveis é outra ideia considerada um investimento, pois o retorno é garantido no longo prazo. Por aqui, utilizamos painéis fotovoltaicos para produção de energia solar.

Outras boa prática é incentivar os próprios hóspedes a reduzirem o consumo de água, um recurso natural tão importante para o planeta. Isso pode ser feito eliminando a troca diária de lençóis e toalhas, caso seus clientes estejam de acordo, é claro.

Quer saber mais sobre turismo sustentável? Continue sua leitura e saiba como práticas sustentáveis aumentam a competitividade dos negócios.

Protetor solar: como proteger a sua pele e os corais marinhos

Você sabia que o protetor solar que você usa enquanto relaxa em um mergulho gostoso no mar pode colocar em risco os recifes de corais? A boa notícia é que dá para continuar cuidando da sua pele e proteger a vida marinha ao mesmo tempo.

Estima-se que 14.000 toneladas de protetor solar acabam nos oceanos a cada ano. E isso não vem só de quem curte nadar no mar. O protetor solar que você enxaguar pelo ralo quando tomar banho pode eventualmente encontrar seu caminho para o oceano.

Além disso, os práticos sprays de aerossol podem espalhar partículas de protetor solar pela areia da praia. Quando a maré chega, estes produtos químicos podem ser lavados no mar.

Neste post, vamos explicar a diferença entre os dois tipos mais comuns de protetores solares. Também vamos contar como esse produto pode agredir a vida marinha e dar dicas de filtros solares ecológicos. Confira!

Protetor solar: conheça os tipos mais comuns

Existem dois tipos mais comuns de protetores solares: o físico, também chamado de mineral, e o químico.

O protetor solar químico é composto por moléculas responsáveis pela absorção dos raios ultravioletas, que por sua vez se transformam em radiação de baixa energia, que não é capaz de penetrar a pele.

O protetor solar físico é composto por minerais (por isso, também conhecido como protetor mineral), entre eles o óxido de zinco e dióxido de titânio. Esses elementos têm o papel de agirem como uma barreira para que os raios solares sejam refletidos da pele.

Como o protetor solar agride os corais marinhos?

Infelizmente, pesquisas descobriram que alguns dos principais produtos químicos utilizados em protetores solares são prejudiciais aos corais e a outras formas de vida marinha. Um dos principais culpados é a Oxibenzona (Benzophenone-3), um ingrediente químico encontrado em mais de 3.500 produtos de proteção solar.

Estes produtos químicos podem levar ao branqueamento dos corais, além de danificar seu DNA e aumentar o crescimento anormal e as deformidades. Mas não são apenas os protetores solares químicos que são prejudiciais.

Os protetores solares minerais, às vezes, contêm nanopartículas que de tão pequenas, podem ser absorvidas pela vida marinha.  Esses minerais são tóxicos para muitas espécies oceânicas, podendo causar estresse e, em última instância, morte, mesmo em baixas concentrações.

Além dos danos causados aos corais, os protetores solares podem:

  • diminuir a fertilidade dos peixes;
  • danificar o sistema imunológico dos ouriços-do-mar e deformar sua reprodução;
  • prejudicar a fotossíntese em algas.

Protetor solar ecológico: conheça as principais marcas

Para te ajudar a ser um turista eco-friendly de verdade, daqueles que cuidam da natureza ao seu redor, vamos te passar uma lista de protetores solares ecológicos, ou seja, aqueles que não agridem o mar.

Vale ressaltar que ainda não foi lançado um protetor solar que seja 100% biodegradável e sustentável, mas já dá para você escolher melhor e fazer diferença no mundo.

Portanto, se quiser cuidar da sua pele e do meio ambiente ao mesmo tempo, procure por um protetor solar ecológico das seguintes marcas:

  • Australian Gold Antipoluição;
  • Australian Gold Botanical Sunscreen;
  • Avene Loção Mineral;
  • Bioderma Facial Photoderm Cover Touch;
  • Filtro Solar Oil Control FPS50+ Isdin Fotoprotector FusionWater;
  • Skinceuticals Protetor Solar;
  • Adcos – Protetor Solar Fotoproteção Mousse Mineral;
  • Cetaphil Sun Protetor Solar Fps 70;
  • Protetor Solar Infantil Mustela FPS 50.

Quer saber mais sobre turismo sustentável? Continue sua leitura sobre e informe-se a respeito do crescimento dos Hotéis Boutique Eco-Friendly.

O Futuro do Turismo: uma coalisão pela mudança

Você já ouviu falar de uma coalisão chamada Future of Tourism (em uma tradução livre, Futuro do Turismo)? Trata-se de uma Organização Não Governamental conjunta, fundada por seis ONGs distintas, que resolveram trabalhar juntas por mudanças importantes no setor de turismo.

O movimento acredita que conforme o turismo vai se recuperando da crise gerada pela pandemia do coronavírus, abre-se uma oportunidade sem precedentes para a mudança coletiva e o bem global.

É hora de repensar a dinâmica das viagens, a fim de escolhermos um futuro melhor para o turismo. Continue sua leitura e saiba mais sobre essa coalisão.

Como foi formada a coalisão Future of Tourism (Futuro do Turismo)?

A ONG surgiu em junho de 2020, mas antes da pandemia as organizações que criaram o movimento já discutiam uma forma de unirem forças para impactarem positivamente o mercado de viagens.

Na verdade, algumas dessas ONGs estavam passando por mudanças na liderança, o que gerou conversas entre elas. Dentro desse contexto, foram levantadas discussões acerca do contexto atual que se tornaram mais relevantes e urgentes.

Essas organizações já tinham por hábito manter uma comunicação regular entre seus gestores. Inclusive, algumas delas já haviam trabalhado bilateralmente em alguns projetos específicos.

A diferença é que agora, ao falarem em uma só voz, as ONGs do Future of Tourism têm mais força para alcançarem uma grande repercussão em prol da sua missão compartilhada: a sustentabilidade no setor de turismo.

Quais são as diretrizes do movimento Future of Tourism?

Os fundadores e signatários do movimento Future of Tourism comprometem-se a operar de acordo com 13 diretrizes, entre elas:

Ter uma visão global

Reconhecer que o turismo impacta toda a comunidade - ecossistemas, recursos naturais, tradições culturais, entre outros fatores - e não apenas empresas do setor de turismo.

Enquadrar-se nos padrões de sustentabilidade

Respeitar os critérios mínimos disponíveis publicamente e aprovados internacionalmente para práticas de turismo sustentável mantidos pelo Conselho Global de Turismo Sustentável (Global Sustainable Tourism Council).

Colaborar na gestão do destino

Procurar desenvolver todo o turismo através de uma estrutura de gestão colaborativa, com igual participação do governo, do setor privado e das organizações da sociedade civil que representam a diversidade nas comunidades.

Escolha qualidade em vez de quantidade

Gerenciar o desenvolvimento turístico baseado na qualidade da visitação e não na quantidade de visitantes, de modo a melhorar a experiência de viagem, mantendo o caráter do destino e beneficiando as comunidades locais.

Exigir distribuição justa de renda

Estabelecer políticas que combatam os benefícios desiguais do setor de turismo dentro das comunidades de destino que maximizem a retenção das receitas do turismo dentro dessas comunidades.

Quem são as organizações que fazem parte dessa coalisão?

O Futuro do Turismo é formado por cerca de 600 pessoas jurídicas signatárias ao redor do mundo, divididas em algumas categorias:

  • 44 Agências Governamentais, entre elas a brasileira Campinas Convention & Visitors Bureau;
  • 403 Empresas, Associações e Consultorias, entre elas a rede de hotéis Hilton;
  • 85 Organizações Não Governamentais, entre elas o Banco Mundial;
  • 29 Instituições Acadêmicas, entre elas a Universidade de Siena;
  • 28 Agências de Relações Públicas e Publicidade;
  • 8 Doadores e Investidores.

Quer saber mais sobre o futuro do turismo? Leia este blog post sobre Turismo pós-pandemia: como será o futuro das viagens?

Ecoturismo: será que esse tipo de turismo realmente beneficia a natureza?

Todos os anos, muitas pessoas escolhem praticar ecoturismo em diversos destinos que oferecem paisagens únicas e uma biodiversidade riquíssima, como é o caso da Floresta Amazônica, da Grande Barreira de Corais na Austrália, entre outros tantos lugares no Brasil e no mundo.

Inclusive, um estudo feito pelo Banco Mundial apontou que a natureza e o ecoturismo estão entre os 5 principais motivos que os turistas levam em consideração na hora de escolher onde passar as férias.

Sabemos que o turismo predatório acaba destruindo a natureza de lugares maravilhosos, deixando espécies em pergio de extinção. Por outro lado, o turismo sustentável tem um papel muito importante na proteção de ecossistemas preciosos.

Neste blog post, vamos contar de que maneiras o ecoturismo é capaz de ajudar a natureza. Confira!

O ecoturismo engaja a comunidade local

Atualmente, o ecoturismo é responsável por cerca de 22 milhões de empregos em todo o mundo, contribuindo com mais de 120 milhões de dólares no PIB global.

O impacto econômico do ecoturismo muitas vezes tem o poder de mudar a postura da comunidade local em relação à conservação do meio ambiente.

Vale lembrar que o conceito de sustentabilidade não envolve somente o cuidado com a natureza. Um dos seus pilares principais é dar atenção e criar ações que atendam às demandas da população local.

O ecoturismo cria formas sustentáveis de viver

O ecoturismo consegue mudar a mentalidade das pessoas, para que elas entendam a importância de preservarmos o meio ambiente. Isso acontece a partir do momento que os indivíduos das comunidades locais passam a ter alternativas de subsistência mais sustentáveis.

A geração de empregos como guias de turismo, cozinheiros, jardineiros, recepcionistas, entre outros, permite que os moradores locais tenham uma fonte alternativa de rendimentos. Dentro desse cenário, as pessoas abandonam atividades destrutivas à natureza, como a agricultura de corte, caça ilegal, queima de árvores, entre outras.

O ecoturismo desperta a consciência ambiental dos turistas

O ecoturismo não só tem a capacidade de mudar a mentalidade e o comportamento da comunidade local, mas também tem o potencial de aumentar a consciência ambiental dos turistas.

Afinal de contas, uma viagem para o meio da natureza vem junto com inúmeras oportunidades de aprendizado a respeito do meio ambiente. E o melhor de tudo: na prática!

Quando os turistas vivem uma conexão real com a natureza durante uma viagem, é muito provável que eles passem a valorizar mais o biossistema. Isso faz com que essas pessoas fiquem mais motivadas a protegerem o planeta.

Um passeio para ver baleias, por exemplo, pode aumentar o conhecimento dos turistas em relação aos mamíferos aquáticos, levando-os a estarem mais atentos à importância em proteger as baleias de caçadores.

O ecoturismo incentiva a criação de Políticas de Conservação Ambiental

O ecoturismo também é uma ferramenta eficiente para incentivar governos e organizações a instituírem políticas ambientais e medidas de conservação. Isso pode ser feito por meio da criação de parques nacionais, reservas naturais ou pela delimitação de outras áreas protegidas.

O objetivo é sempre a preservação da biodiversidade. Como consequência, a atratividade do destino aumenta perante os turistas.

Quer saber mais sobre a importância do ecoturismo? Continue sua leitura com esse blog post sobre Turismo Sustentável: como práticas sustentáveis aumentam a competitividade dos negócios.

Ecoturismo: visite a Praia de Calhetas em São Sebastião

O litoral norte de São Paulo é formado por praias realmente paradisíacas. Uma delas é a praia de Calhetas em São Sebastião, destino perfeito para passar o dia em contato com a natureza. O melhor de tudo é que, além do mar, você ainda pode tomar um banho de cachoeira no caminho.

A praia de Calhetas não deixa nada a desejar para visuais incríveis de praias caribenhas: a água varia entre tons de azul turquesa e verde, areia branquinha e encostas de pedras onde você pode ver lindos peixes, tartarugas marinhas e muito mais.

Leia este post e saiba mais sobre essa praia incrível, mas que muitas vezes passa despercebida pelos turistas que frequentam o litoral norte de SP. Vamos lá!

Onde fica exatamente a praia de Calhetas?

A praia de Calhetas fica dentro de uma propriedade particular chamada Sítio Calhetas, porém o acesso é livre para a entrada a pé. Só entram de carro os proprietários das casas e seus visitantes.

Ela está localizada entre as praias de Toque Toque Grande e Toque Toque Pequeno. Os carros dos turistas costumam ficar estacionados no km 144 da rodovia Rio-Santos, mas lembre-se que parar no acostamento é uma infração de trânsito gravíssima e a Polícia Rodoviária Federal faz rondas constantes por ali.

Para não arriscar, o melhor é parar o carro na praia de Toque Toque Grande e caminhar por cerca de 20 minutos.

Como chegar na praia de Calhetas?

O Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel fica bem pertinho da entrada do Sítio Calhetas. São apenas 150 metros de caminhada até passar pela portaria do condomínio. Feito isso, você vai andar por mais uns 15 minutinhos até chegar à praia de Calhetas.

Aproveite o caminho, pois ele é um verdadeiro convite à prática do Ecoturismo. O contato com a natureza é realmente incrível. Você andará em meio a um percurso super arborizado, com árvores nativas da Mata Atlântica, espécies frutíferas e uma diversidade maravilhosa da flora.

O que fazer na praia de Calhetas em São Sebastião?

A praia de Calhetas é uma península, o que faz seu visual ser ainda mais lindo. Ela é uma praia dividida em duas partes. O lado direito tem mais ondas, porém a areia é mais clara e macia. O lado esquerdo tem o mar mais calmo, só que com mais pedras e uma faixa de areia menor.

Essa península é como se fosse uma semi-ilha toda gramada e cheia de coqueiros, formando o cenário ideal para você passar o dia literalmente com sombra e água fresca.

A escadinha natural te levará até o Mirante de Calhetas. Prepare a câmera fotográfica, pois a vista do mirante é de tirar o fôlego. Vale ressaltar que na praia de Calhetas o sol se põe no mar. Já deu para imaginar o espetáculo da natureza, não é mesmo?

Outro ponto de parada obrigatório na praia de Calhetas é a cachoeira. Depois de passar pela portaria do Sítio Calhetas, mais ou menos no meio do caminho, à direita, faça uma trilha curta (100 metros mais ou menos) e visite uma cachoeira com cerca de 40 metros de altura.

Agora você já sabe como chegar e o que fazer na praia de Calhetas, um verdadeiro oásis escondido no litoral norte de SP. A ideia do turismo ecológico é aproveitar sua viagem para estar mais próximo de belezas naturais que você não pode usufruir no seu dia a dia.

Faça trilhas na floresta, observe os pássaros nativos, ande descalço na areia, mergulhe para conhecer a vida marinha local. Não faltam opções de passeios no litoral norte de São Paulo. Só não esqueça que a consciência ambiental é responsabilidade de todos nós.

Seja um turista eco-friendly. Hospede-se no Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel e viva uma experiência romântica com design consciente.

Saiba mais sobre a Culinária Caiçara do Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel

A hotelaria e a alimentação são tópicos totalmente conectados. Afinal de contas, a maior parte dos turistas ao viajar busca uma conexão com a cultura do local. A experiência nas refeições é fundamental para que isso aconteça. No caso do Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel, o foco é a culinária caiçara.

Uma das chaves para o sucesso de um empreendimento hoteleiro é jamais subestimar a relevância da cozinha em seu plano de negócio.

Neste post, vamos falar sobre como nossa memória resgata memórias do paladar e de que forma o Ilha de Toque Toque investe na excelência dos serviços de Alimentos & Bebidas. Confira!

Como funciona a memória do paladar e do olfato?

Já existem vários estudos no campo da neurociência que mostram a capacidade do nosso cérebro de resgatar lembranças ligadas ao olfato e paladar. Esses são os dois sentidos do corpo humano que fazem parte da nossa memória de longo prazo, processada no hipotálamo.

Outros sentidos, como o tato, a visão e a audição, são processados pelo tálamo, não tão competente quando falamos em recuperar lembranças e vivências.

Inclusive, um desses estudos acerca do assunto, realizado pela Rockfeller University de Nova York, indicou que somos capazes de recordar 35% dos aromas e sabores que sentimos. Por outro lado, lembramos somente de 5% das imagens e apenas 2% dos sons.

Esses dados comprovam que é muito mais provável os turistas associarem suas viagens às memórias de paladar e olfativas do que a de cartões postais da cidade.

Portanto, um hotel que leva sua culinária a sério tem muito mais chances de fidelizar seus hóspedes, ampliando a satisfação de seus clientes e, consequentemente, sua taxa de ocupação.

Como investimos na qualidade da culinária caiçara do Ilha de Toque Toque?

Chef Elis

Renata Pavão, sócia-fundadora do Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel, atualmente reside em Portugal e estuda nutrição com foco em alimentação saudável. Ela é a conselheira responsável por orientar os rumos da cozinha do hotel.

Atualmente, para contribuir com os avanços da culinária caiçara do Ilha de Toque Toque, a futura nutricionista decidiu investir na formação dos colaboradores do setor.

Todos os profissionais da cozinha, incluindo nossos Chefs Nil (José Nilton, incumbido do café da manhã) e Elis (Elisângela Oliveira, do restaurante), estão passando por uma capacitação com foco na excelência da gastronomia.

Somos um Hotel Eco-Friendly só para casais, com apenas 14 suítes românticas que proporcionam muita privacidade

Chef Nil

e exclusividade aos nossos hóspedes. Por isso, nosso restaurante atende apenas quem está hospedado no Ilha de Toque Toque.

A cozinha caiçara é a nossa inspiração. Nosso restaurante tem um ambiente intimista, com vista para a Baía de Toque Toque e design sustentável, rústico e elegante. Tudo isso em cima de um charmoso deque e com muita natureza ao redor.

Nosso cardápio conta com opções de peixes, frutos do mar e carnes, além dos pratos triviais. Tudo é preparado com ingredientes regionais. Esse toque especial transforma cada prato em uma incrível experiência de sabores caiçaras. Para beber, temos várias opções de sucos, vinhos, caipirinhas e coquetéis.

Quer saber mais sobre a culinária do nosso restaurante? Confira nossos cardápios.

Quem está por trás do Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel?

A história de sucesso do Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel já tem 14 anos. Tudo começou em 2006, quando o casal de sócios-fundadores Edson Pavão e Renata Pavão decidiram tirar seu sonho do papel.

Eles saíram em busca de uma área onde pudessem implantar uma pousada. E não foi fácil! Foram muitas viagens e tanta procura, que eles quase pensaram em desistir.

Mas no dia que encontraram um pequeno sítio encrustado na serrinha entre Maresias e Ilha de Toque Toque Grande, na cidade de São Sebastião, litoral norte do estado de São Paulo, sentiram que ali o projeto poderia virar realidade.

Continue sua leitura e saiba mais sobre a trajetória dos sócios-fundadores do Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel.

Sócio-fundador: Edson Costamilan Pavão

Em sua carreira de executivo na área jurídica, o empreendedor Edson Pavão passou anos na ponte aérea São Paulo/Houston (EUA), como o primeiro advogado brasileiro do que viria a se tornar gigantesco departamento Jurídico da Enron International.

Depois, foi para a AOL (America On Line) - uma das empresas do grupo Time Warner, o segundo maior e mais respeitado conglomerado de comunicação do mundo. Lá, foi Diretor Jurídico e de Assuntos Governamentais, além de ter cuidado da área de Novos Negócios por dois anos.

Quando o desejo de voltar a empreender começou a falar mais alto, Edson Pavão colocou seus planos em prática e, assim, surgiu o Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel. Algum tempo depois abriu seu escritório de advocacia, e em 2018 com sua esposa, assumiu e reabriu o Porto Grande Hotel & Convention.

Atualmente, Pavão vive em Portugal e dá dicas práticas sobre empreendedorismo sustentável em seu site, no Instagram e Facebook.

Sócia-fundadora: Renata Pavão

O histórico profissional da sócia-fundadora Renata Pavão tem uma raiz importante em sua vocação para empreender. Por uma década, ela foi proprietária de uma bem-sucedida corretora de seguros.

Quando seu marido, Edson Pavão, propôs que abrissem um hotel, o instinto empreendedor de Renata percebeu que os dois poderiam trilhar uma trajetória de muito sucesso. Então, decidiu seguir em frente com a ideia. E deu certo!

Ficou à frente dos setores de A&B e Governança até 2017, quando se tornou diretora geral. No ano seguinte, inaugurou com Edson Pavão, o Porto Grande Hotel & Convention, também na cidade de São Sebastião.

Hoje em dia, além de ser Conselheira dos dois hotéis, Renata Pavão está cursando Nutrição e é criadora de conteúdo sobre alimentação saudável e estilo de vida leve, que veicula em seu Instagram e Facebook.

Todos esses aprendizados e vivências foram fundamentais para o Ilha de Toque Toque ser um modelo de negócio extremamente bem-sucedido. A prova disso são todos os prêmios nacionais e internacionais que o hotel já ganhou, incluindo a certificação do ano como Hotel Lixo Zero.

O design consciente e arquitetura sustentável das nossas instalações preservam e respeitam o meio ambiente. Tudo isso no melhor estilo rústico e elegante, em total harmonia com a natureza.

As 14 suítes românticas do Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel proporcionam uma experiência única no Litoral Norte de São Paulo. Todos os quartos possuem SPA privativo, com ofurô ou piscina. As suítes Privé, Master e Exclusive são equipadas com sauna.

No momento, o casal de sócios-fundadores do Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel reside em Portugal, onde administram seus negócios remotamente. Edson Pavão, além de empreendedor, presta serviços de consultoria de imigração para o país lusitano. Saiba mais em Pavão Advocacia, no seu Instagram e Facebook.

Quer saber por que o Ilha de Toque Toque é um hotel só para casais? Leia esse blog post sobre o assunto!

Viagem para casal: Ilha de Toque Toque é o hotel romântico perfeito para você e seu amor

Buscando o hotel romântico perfeito quando o assunto é viagem para casal? O Ilha de Toque Toque Boutique Hotel & SPA é capaz de encantar logo à primeira vista. Esse hotel SPA é um verdadeiro refúgio de 20 mil m² cercado pela Mata Atlântica, com uma vista incrível para a belíssima Baía de Toque Toque Grande.

Trata-se de uma localização privilegiada, por conta da sua beleza natural e muita tranquilidade, dentro da cidade de São Sebastião, litoral norte de São Paulo. A 50 metros acima do nível do mar, os casais apaixonados que se hospedam no Ilha de Toque Toque usufruem de um visual panorâmico exclusivo do mar.

Para completar o cenário, as suítes românticas estão todas integradas à mata nativa – assim, reúnem o melhor de dois mundos. Essas e outras características fazem desse Boutique Hotel uma opção diferenciada para viagens em casal. Leia este post e saiba um pouco mais sobre um dos melhores refúgios românticos do Brasil!

Experiência romântica com design consciente

O Ilha de Toque Toque Boutique Hotel tem como missão oferecer aos seus hóspedes uma experiência romântica com design consciente. Por aqui, o grande privilégio é poder se desconectar da correria do dia a dia e renovar as energias junto à natureza.

Os casais conseguem relaxar ao som do vento, dos pássaros e do mar, sob a sombra das árvores tropicais. Exclusivo para adultos, temos um ambiente único de puro romance, que foi todo pensado para que o casal aproveite uma viagem inesquecível.

Todas as 14 suítes - que vão de 35 m² a 70 m² -  têm um SPA privativo, com ofurô ou piscina na varanda, além de sauna seca em algumas unidades. Com estruturas em madeira, a arquitetura privilegia o estilo rústico, sem abrir mão da elegância.

Único SPA L’Occitane au Brésil da região

Os hóspedes também podem aproveitar o único SPA L’Occitane au Brésil da região, assinatura presente em apenas quatro hotéis no Brasil. O espaço tem design em estilo balinês, vista para a floresta, sauna e ofurô.

São várias opções de massagens e tratamentos, individuais ou para casais, sempre com o uso dos produtos L’Occitane au Brésil e uma equipe treinada com os protocolos da marca francesa de cosméticos.

Infraestrutura externa e gastronomia

Na área externa, o Ilha de Toque Toque conta com piscina em temperatura ambiente e jacuzzi aquecida, ambas com vista para a baía e cercadas por coqueiros e espreguiçadeiras.

O hotel dispõe ainda de restaurante para uso exclusivo dos hóspedes, um ambiente intimista sobre um deque rodeado pela natureza. O cardápio agrada aos paladares mais refinados, sem deixar de lado a típica culinária caiçara.

Como o hotel está sobre um morro, não há acesso direto ao mar, mas na praia de Toque Toque Grande existe um ponto de apoio exclusivo para os hóspedes, com cadeiras, guarda-sóis, banheiros, ducha, bebidas e petiscos, além de estacionamento.

Com foco na sustentabilidade, o Ilha de Toque Toque tem o orgulho de ser o primeiro Hotel Lixo Zero do Brasil e um dos primeiros do mundo, com certificação oficial da Zero Waste International Alliance através do Instituto Lixo Zero Brasil.

O hotel eliminou o uso de produtos descartáveis, como copos de plástico e garrafas PET, e destinou o lixo orgânico para compostagem, entre uma série de outras medidas. O Ilha de Toque Toque conquistou a certificação após reduzir em 94% o lixo enviado para o aterro sanitário local.

Venha viver uma experiência romântica com design consciente incrível! Faça sua reserva pelo nosso site e garanta o melhor preço.