O Futuro do Turismo: uma coalisão pela mudança

Você já ouviu falar de uma coalisão chamada Future of Tourism (em uma tradução livre, Futuro do Turismo)? Trata-se de uma Organização Não Governamental conjunta, fundada por seis ONGs distintas, que resolveram trabalhar juntas por mudanças importantes no setor de turismo.

O movimento acredita que conforme o turismo vai se recuperando da crise gerada pela pandemia do coronavírus, abre-se uma oportunidade sem precedentes para a mudança coletiva e o bem global.

É hora de repensar a dinâmica das viagens, a fim de escolhermos um futuro melhor para o turismo. Continue sua leitura e saiba mais sobre essa coalisão.

Como foi formada a coalisão Future of Tourism (Futuro do Turismo)?

A ONG surgiu em junho de 2020, mas antes da pandemia as organizações que criaram o movimento já discutiam uma forma de unirem forças para impactarem positivamente o mercado de viagens.

Na verdade, algumas dessas ONGs estavam passando por mudanças na liderança, o que gerou conversas entre elas. Dentro desse contexto, foram levantadas discussões acerca do contexto atual que se tornaram mais relevantes e urgentes.

Essas organizações já tinham por hábito manter uma comunicação regular entre seus gestores. Inclusive, algumas delas já haviam trabalhado bilateralmente em alguns projetos específicos.

A diferença é que agora, ao falarem em uma só voz, as ONGs do Future of Tourism têm mais força para alcançarem uma grande repercussão em prol da sua missão compartilhada: a sustentabilidade no setor de turismo.

Quais são as diretrizes do movimento Future of Tourism?

Os fundadores e signatários do movimento Future of Tourism comprometem-se a operar de acordo com 13 diretrizes, entre elas:

Ter uma visão global

Reconhecer que o turismo impacta toda a comunidade - ecossistemas, recursos naturais, tradições culturais, entre outros fatores - e não apenas empresas do setor de turismo.

Enquadrar-se nos padrões de sustentabilidade

Respeitar os critérios mínimos disponíveis publicamente e aprovados internacionalmente para práticas de turismo sustentável mantidos pelo Conselho Global de Turismo Sustentável (Global Sustainable Tourism Council).

Colaborar na gestão do destino

Procurar desenvolver todo o turismo através de uma estrutura de gestão colaborativa, com igual participação do governo, do setor privado e das organizações da sociedade civil que representam a diversidade nas comunidades.

Escolha qualidade em vez de quantidade

Gerenciar o desenvolvimento turístico baseado na qualidade da visitação e não na quantidade de visitantes, de modo a melhorar a experiência de viagem, mantendo o caráter do destino e beneficiando as comunidades locais.

Exigir distribuição justa de renda

Estabelecer políticas que combatam os benefícios desiguais do setor de turismo dentro das comunidades de destino que maximizem a retenção das receitas do turismo dentro dessas comunidades.

Quem são as organizações que fazem parte dessa coalisão?

O Futuro do Turismo é formado por cerca de 600 pessoas jurídicas signatárias ao redor do mundo, divididas em algumas categorias:

  • 44 Agências Governamentais, entre elas a brasileira Campinas Convention & Visitors Bureau;
  • 403 Empresas, Associações e Consultorias, entre elas a rede de hotéis Hilton;
  • 85 Organizações Não Governamentais, entre elas o Banco Mundial;
  • 29 Instituições Acadêmicas, entre elas a Universidade de Siena;
  • 28 Agências de Relações Públicas e Publicidade;
  • 8 Doadores e Investidores.

Quer saber mais sobre o futuro do turismo? Leia este blog post sobre Turismo pós-pandemia: como será o futuro das viagens?