Ilha de Toque Toque Eco Boutique Hotel

4 Principais Erros na Compostagem

A compostagem é uma forma de reciclar os resíduos orgânicos e transformá-los em adubo para as plantas.

No entanto, muitas pessoas cometem alguns erros na hora de fazer a compostagem, que podem comprometer o resultado final e até causar problemas ambientais.

Neste post, vamos listar os principais erros na compostagem e como evitá-los. Informe-se!

Erro na Compostagem 1: Não separar os resíduos orgânicos dos inorgânicos

Um dos erros mais comuns na compostagem é misturar os resíduos orgânicos com os inorgânicos, como plásticos, metais, vidros, pilhas, etc.

Esses materiais não se degradam facilmente e podem contaminar o composto, além de atrapalhar o processo de decomposição dos resíduos orgânicos. Por isso, é importante separar os resíduos orgânicos dos inorgânicos antes de colocá-los na composteira.

Erro na Compostagem 2: Não controlar a umidade e a temperatura da composteira

A umidade e a temperatura são fatores essenciais para o sucesso da compostagem. Se a composteira estiver muito seca, os micro-organismos responsáveis pela decomposição não terão água suficiente para sobreviver e trabalhar.

Se estiver muito úmida, pode ocorrer o excesso de água e a falta de oxigênio, causando mau cheiro e a proliferação de fungos e bactérias indesejáveis.

O ideal é manter a umidade entre 40% e 60%, o que pode ser verificado apertando um punhado de material da composteira: se sair uma gota de água, está bom; se sair mais, está úmido demais; se não sair nada, está seco demais.

A temperatura também deve ser monitorada, pois se estiver muito alta ou muito baixa, pode afetar a atividade dos micro-organismos. O ideal é manter a temperatura entre 40°C e 60°C, o que pode ser verificado com um termômetro ou com a mão: se estiver quente demais para tocar, está alto demais; se estiver frio demais para sentir, está baixo demais.

Erro na Compostagem 3: Não balancear os materiais ricos em carbono e em nitrogênio

Outro erro frequente na compostagem é não balancear os materiais ricos em carbono e em nitrogênio, que são os principais nutrientes para os micro-organismos.

Os materiais ricos em carbono são aqueles que têm uma cor mais escura e são mais secos, como folhas secas, serragem, papel, etc. Os materiais ricos em nitrogênio são aqueles que têm uma cor mais clara e são mais úmidos, como cascas de frutas, verduras, borra de café, etc.

Se houver muito carbono e pouco nitrogênio, a decomposição será lenta e o composto ficará pobre em nutrientes. Se houver muito nitrogênio e pouco carbono, a decomposição será rápida e o composto ficará rico em nutrientes, mas também poderá gerar mau cheiro e gases nocivos.

O ideal é manter uma proporção entre 25:1 e 30:1 de carbono para nitrogênio, o que pode ser feito alternando camadas de materiais secos e úmidos na composteira.

Erro na Compostagem 4: Não revolver ou arejar o composto periodicamente

Um erro que pode comprometer a qualidade do composto é não revolver ou arejar o material da composteira periodicamente. Isso é importante para garantir a oxigenação do composto, que é essencial para os micro-organismos aeróbios (que precisam de oxigênio) realizarem a decomposição.

Se o composto não for revolvido ou arejado regularmente, pode ocorrer a compactação do material e a formação de zonas anaeróbias (sem oxigênio), que favorecem o aparecimento de micro-organismos anaeróbios (que não precisam de oxigênio) que produzem mau cheiro e gases tóxicos.

O ideal é revolver ou arejar o composto pelo menos uma vez por semana, usando um garfo ou uma pá para misturar bem o material da composteira.

Agora que você já conhece os principais erros na compostagem, que tal aprender um pouco mais sobre outro assunto que também é super importante para a preservação do meio ambiente?

Continue sua leitura e entenda o que é e para que serve a Pegada de Carbono.

Open chat